A História de Ninrode

Tudo começou quando logo após o dilúvio, a Bíblia conta que Noé se embriaga com vinho e adormece:
E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora.
Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai.
E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos.
E disse: Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.”
                                                                                                    Gênesis 9:21-27
      De Cam(ou Cão), e seu filho Canaã, surgiram os povos jebuseus e cananeus ou cananitas.
      Cam teve outro filho, chamado Cuxe. Cuxe por sua vez se casa com uma mulher chamada Semiramis, e com ela tem um filho chamado Ninrode. (Gênesis 10.8)
     O nome Ninrode significa “os que se rebelaram”, “revolta”. Ele foi a exata personificação da desobediência. Fazia tudo ao contrário da vontade de Deus.
       Dentre outras cidades, Ninrode edificou Nínive e Babel, que mais a frente na história, se tornaria o que chamamos hoje de Babilônia.
Ele foi o primeiro líder a se auto-intitular “deus”. Ele ajuntou as pessoas em Babel (contradizendo a vontade de Deus de “Frutificar e multiplicar e encher a terra.”Gn9.1), e as obrigava a adorá-lo como o “Deus Sol”.
        Não sendo o bastante a tentativa de construir uma torre que chegasse ao céu, Ninrode desobedece as leis de Deus mais uma vez: ele toma sua própria mãe, Semiramis, como esposa.


        Semiramis, agora que se casou com o “deus sol”, começa a se auto-intitular “deusa lua”.
        Quando vê que Ninrode não tem limites na sua desobediência, Sem, filho de Noé e tio avô de Ninrode, mata-o com esperança de acabar com tudo aquilo. Mas como um deus pode morrer? O povo começou a questionar e Semiramis para evitar confusões, diz que ele não morreu, apenas voltou para seu lugar de origem; afinal, se tivesse morrido mesmo o sol não continuaria brilhando.
        Pouco tempo depois, Semiramis descobre que está grávida. Mas isso não é possível, afinal seu filho-marido está morto. Ela mente novamente, desta vez para encobrir seu adultério, dizendo que o espírito de Ninrode, o “espírito de deus” a engravidou.
        Semiramis chama seu filho de Tamuz, e para continuar o engano, ela diz que ele é o próprio Ninrode. Daí surge a primeira idéia reencarnacionista.
       Um certo dia, quando estava num bosque, Tamuz morre acidentalmente, e seu corpo é encontrado em cima de um tronco. Mais uma vez: como um deus morre? E Semiramis, de novo, diz que ele voltou para o seu lugar de origem. (Tamuz é mencionado na Bíblia em Ezequiel 8.14-18.)

       Esta se tornou a Trindade Profana: Ninrode, pai; Semiramis, mãe e Tamuz, o filho.
       Após a destruição se Babel, e mais tarde da Babilônia, o povo de Ninrode começou a migrar pelo mundo, conquistando outros povos e ensinando-lhes suas crenças pagãs.
       Da Babilônia, eles vão para a Pérsia. Agora Ninrode,  Semiramis e Tamuz são uma Trindade que era representada da mesma forma que a Egípcia.


       Cai a Pérsia e começa a surgir um novo Império através de Alexandre. Com isso, a Grécia começa a crescer e a trindade se disfarça novamente: Ninrode se torna Zeus; Semiramis, Afrodite e Tamuz agora é Eros.


        Mais uma vez, cai a Grécia e eles migram para o Egito. Surge então Osíris(Ninrode), Ísis(Semiramis) e Hórus(Tamuz).

       Depois surge o Império Romano, e eles, mais uma vez, se disfarçam de Saturno(Ninrode), Vênus(Semiramis) e Cupido(Tamuz).


        Não tem como errar: é sempre a figura do pai, a mãe e o filho. A mesma história de incesto, com algumas modificações para disfarce.
        Aproximadamente no século III da era cristã, os católicos começaram uma sincretização religiosa, com esperança de conquistar cada vez mais adeptos. Começaram a introduzir imagens de escultura nas igrejas e nas crenças, a fim de facilitar a aceitação dos povos pagãos à nova religião.
       E, acredite se quiser, hoje, a Trindade Profana está disfarçada assim:

       Sabemos que, biblicamente falando, a verdadeira Trindade é o Pai(Deus), Filho(Jesus) e o Espírito Santo. Sabendo disso, fica mais fácil ver o engano católico e perceber o disfarce demoníaco.

                                    Cabe você agora decidir se acredita ou não. Que Deus te bençoe!       

compartilhe

Um comentário:

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, demorei algum tempo a ver o conteúdo, gostei e é um daqueles
    blogs que gostamos de visitar.
    Eu ficaria alegre se me desse a honra da sua visita e se poder ler um pouco do que escrevi.
    Tenha muita paz e saúde.
    Sou António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir